São muitas as transformações no mercado de capitais na última década. Incluem-se, por exemplo, a popularização do Tesouro Direto, o aumento do uso de home brokers por investidores não-profissionais e a disseminação das casas de análise independentes.

Não menos importante, por sua vez, a multiplicação dos agentes autônomos de investimento


A proteção dos minoritários é condição sine qua non para a avaliação das empresas e a própria disposição dos investidores em aplicar as poupanças em investimentos de longo prazo no mercado de capitais.

Para garanti-la, concorrem duas dimensões do ordenamento jurídico: tanto as regras prescritivas que conformam o arcabouço normativo…


Quando se fala em mercado de valores mobiliários é comum classificá-lo como mercado desintermediado, ao contrário do que ocorre no mercado financeiro.

O Semeador (2015) de Nuno Ramos

No mercado financeiro (também conhecido como mercado de crédito ou bancário), o poupador deposita o dinheiro no banco que, por sua vez, empresta em nome próprio para um…


A quase cinquentenária Lei nº 6.404 de 1976, mais conhecida como Lei das Sociedades Anônimas, destina-se a regular o funcionamento das companhias e os conflitos inerentes à dinâmica intra-societária, em especial envolvendo os acionistas controladores e minoritários.

Uma vez titular de participação societária, o acionista adquire direitos próprios dessa posição…


Uma das regras basilares do direito societário brasileiro é que somente os títulos de emissão de companhias registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) são admitidos a negociação no mercado de capitais. …


Não é de hoje que mercados emergentes, como o brasileiro, experimentam ciclos de crescimento e retração. Após os recordes de cotações, volume, negócios e aberturas de capital desde 2018, a Bolsa brasileira reencontrou os inimigos de sempre: a alta taxa de juros e a inflação.

Obra Linda do Rosário (2004) de Adriana Varejão

O aumento da taxa de…


As pesquisas apontam a consolidação de Lula na liderança da disputa presidencial em percentual que já ultrapassa a faixa dos 40%. Faz sentido pensar numa vitória do petista no primeiro turno?

Se isso acontecer, obviamente a principal razão terá sido o fiasco do governo Bolsonaro em assegurar a melhoria das…


Keith Gill construiu uma tese de investimento baseada no potencial da GameStop, famosa varejista de games, sobreviver em meios a hegemonia dos downloads. Sua contrariava a tese de grandes fundos de hedge que apostavam na queda futura do preço das ações.

Tal aposta, denominada de short selling, consistia na seguinte…


Quando falamos em startups, a primeira coisa que vem à mente são jovens nerds numa garagem abarrotada de computadores. A genialidade desses jovens cientistas, ao menos à primeira vista, teria tornado Vale Silício em capital da inovação tecnológica.

Em How Law Made Silicon Valley, Anupam Chander reconstrói essa narrativa. O…


O lançamento de The Power of Creative Destruction, escrito pelos franceses Philippe Aghion, Céline Antonin e Simon Buñel, agitou articulistas e economistas nas últimas semanas. Martin Wolf, Barry Eichengreen e William H. Janeway elogiaram o livro em tabloides internacionais.

Rodrigo de Abreu Pinto

Nascido em Recife. Formado em filosofia pela FFLCH-USP. Mora no Rio de Janeiro e estuda direito na PUC-Rio. Escreve às quartas.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store